Verstappen vence GP da Alemanha e Vettel, largando em último, é o segundo

Era emoção que você queria? Pois o Grande Prêmio da Alemanha, no circuito de Hockenheim, entregou isso na manhã deste domingo para os fãs da Fórmula 1. Com chuva, trocas de pneus e estratégias a todo momento, o vencedor da prova foi Verstappen, da RBR, mas o grande destaque ficou com Sebastian Vettel, da Ferrari, que ficou na segunda colocação após ter largado em último. Kvyat, da Toro Rosso, completou o pódio, o primeiro da escuderia desde o GP da Itália, em 2008.

Stroll, da Racing Point, foi o quarto. Você deve estar se perguntando o que aconteceu. Pois é, a “corrida maluca” teve muitos contratempos que colocaram muita emoção. Leclerc, que largou em décimo e chegou até a quarta colocação, bateu e abandonou a prova, para a loucura da Ferrari.

Na mesma curva dessa batida, o então líder e pole position Lewis Hamilton, da Mercedes, perdeu o controle e foi punido em cinco segundos por volta irregular aos boxes. Ele ainda rodou na pista em outro momento, mas conseguiu voltar e terminou a prova na 11ª colocação. Hulkenberg, Norris, Ricciardo, Pérez, Bottas e Gasly abandonaram a prova.

Apesar do mau resultado, Hamilton continua na ponta da classificação com 223 pontos somados. Bottas é o segundo, com 184, seguido de Verstappen, agora com 162, Vettel, com 141, Leclerc, com 120. A Fórmula 1 retorna no dia 4 de agosto, no circuito de Hungaroring, na Hungria, às 10h10 (de Brasília). Em 2018, Hamilton foi o campeão do GP, seguido de Vettel e Raikkonen, em terceiro, ambos da Ferrari.

A corrida – Com a chuva que caía em Hockenheim, a dúvida inicial era se seria necessária ou não a entrada do safety car. Após a formation lap, que durou mais de uma volta, acabou irritando inicialmente os pilotos, que queriam ir logo para a pista. Com essas voltas, a corrida caiu de 67 voltas para 64.

Na largada, parada, Hamilton largou bem e permaneceu na primeira posição, enquanto Verstappen não fez bom início e caiu para a quarta posição, atrás de Haikkonen. Nesse meio tempo, Vettel e Leclerc, em corrida de recuperação, foram ganhando posições.

Com sete voltas, o alemão ocupava a oitava posição (largou em 20º) e o monegasco estava em quarto (largou em 10º). A Ferrari acabou punida por conta de uma saída perigosa do box, quando Leclerc quase bateu em Grosjean, da Haas. O piloto, porém, não sofreu as consequências.

Na volta 16, a corrida acabou para Ricciardo. O motor do carro explodiu e ele precisou abandonar a prova. Ele se juntou a Pérez, que bateu sozinho no início da prova. Enquanto isso, Leclerc vinha forte, tentando desbancar Verstappen, que estava na cola de Bottas. Vettel, então, mudou de estratégia e colocou pneus macios, para tentar se aproximar das primeiras posições. Lewis Hamilton seguia na primeira colocação, mas a briga pela segunda e terceira posições seguiam firmes.

Na volta 28, Norris precisou abandonar a prova por problemas mecânicos. Enquanto isso, pilotos trocavam pneus para médios em pista seca, casos de Verstappen e Bottas; já Leclerc com macios. Estratégias foram mudadas de acordo com o clima e interesse de cada escuderia. Mas, como na prova classificatória, a bruxa estava solta na Ferrari…

Loucura do meio para o fim!

Acertou na estratégia, mas Leclerc acabou passando reto na curva da volta 29 e bateu. Hamilton bateu no mesmo ponto e precisou trocar os pneus, mas uma lambança no box faz a equipe fazer a troca em quase um minuto. Ele, inclusive, foi punido em cinco segundos por volta irregular aos boxes. O britânico perdeu posições e caiu para quinto. Verstappen na ponta, Hulkenberg em segundo e Bottas em terceiro.

Hulkenberg, que vinha fazendo uma ótima corrida, bateu no mesmo ponto de Leclerc e deu adeus à prova, lembrando que o safety car trabalhou bastante neste GP. E a corrida seguia “maluca” por lá: na volta 50, o pódio era composto por Verstappen, Stroll em segundo e Kvyat em terceiro.

Partindo para o fim da corrida, Hamilton, após cumprir punição, caiu para baixo do top 10 e ainda rodou na pista, caindo para a última colocação, na 15ª posição. A bruxa continuou solta… Bottas bateu forte e precisou abandonar a prova também. Dia nada bom para a Mercedes no GP da Alemanha, e olha que era aniversário de 125 anos de envolvimento com esporte a motor da escuderia.

Quem veio fazendo uma bela prova foi Sebastian Vettel, que largou em último e chegou no fim atacando Stroll, na busca pela terceira colocação e ele conseguiu, mas não foi o bastante. Logo depois, ele conquistou a segunda colocação, deixando Kvyat para trás.

Verstappen terminou em primeiro, a segunda vitória da Honda desde o retorno da marca à F1, Vettel em segundo e Kvyat em terceiro. Foi o primeiro pódio do Toro Rosso desde o GP da Itália, em 2008.

O post Verstappen vence GP da Alemanha e Vettel, largando em último, é o segundo apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.